sábado, 23 de maio de 2015

Câmara Sony DSC-QX30 em análise


Esta câmara fotográfica que pode ser usada de forma independente ou acoplada ao telemóvel.



Outlook prepara renovação da forma como lidamos com o email


O objetivo da Microsoft é fornecer uma solução semelhante ao instant messaging, mas para emails. Nesta fase, a app encontra-se em testes internos pelos próprios funcionários da equipa do Outlook. 

Apple desistiu de lançar um televisor 4K


A Apple chegou a trabalhar no lançamento de um televisor de Ultra Alta Definição, mas acabou por abandonar o projeto há cerca de um ano. A Apple ainda não desmentiu nem confirmou.
A Apple pode ter desistido do televisor, mas não desistiu da televisão, a Apple quer lançar um serviço de subscrição de TV online, que terá como principal porta de entrada uma box. A nova box de TV deverá ser mais fina e deverá incluir uma nova versão de software e um sistema de controlo remoto renovado. Estas novidades deverão ser apresentadas durante a próxima conferência que a Apple tem agendada para junho.


Apple investiga ecrãs 3D que não precisam de óculos


Ecrã 3D que não exigem óculos. É o que a Apple deve estar a investigar de acordo com uma patente submetida pela marca, que não escapou aos olhos do site  Apple Insider
Segundo a informação disponível, a tecnologia parece ter algumas semelhanças com as tecnologias que já foram utilizadas em televisores Toshiba e que são utilizadas na mais recente Nintendo 3DS: um sensor, talvez uma câmara, deteta a posição dos olhos do utilizador de modo a apresentar as imagens para cada um dos olhos no ângulo certo. Como sempre, o efeito de 3D é conseguido quando cada um dos dois olhos recebe uma imagem diferente.
A patente menciona ainda a possibilidade de o ecrã também funcionar de modo convencional, a 2D, e de conseguir apresentar imagens diferentes a utilizadores diferentes.
Esta tecnologia deverá ser aplicada em dispositivos móveis, como o iPad e iPhone.




quinta-feira, 21 de maio de 2015

Câmara fotográfica “revolucionária” Lytro Illum chega a Portugal em junho

É possivelmente a máquina fotográfica mais disruptiva dos últimos anos. Tanto no aspeto como no resultado final das fotografias que consegue reproduzir. Trata-se da Illum, o segundo modelo comercial da empresa Lytro, e que consegue captar aquilo a que se pode chamar de "fotografias vivas". 
                                

Clicando com o rato sobre determinados pontos da imagem a mesma foca automaticamente sobre esses pontos. Mas se o utilizadores clicar sobre a composição e mover o rato consegue criar um efeito tridimensional. 

O efeito só funciona da forma desejada se o utilizador explorar bem a profundidade nas composições. Mas se tiver “olho” para a arte pode conseguir resultados muito interessantes. 

Os resultados são conseguidos graças a uma tecnologia chamada Light Field que tenta “perceber” todos os raios de luz que são captados – a luz da composição passa por várias lentes, o que permite à câmara gravar a direção de cada raio de luz. Assim o sensor vai saber a posição e a distância a que cada elemento estava dos restantes, tecnologia que permite então re-focar, se for necessário, a fotografia depois de captada. 

A lente da Illum tem uma abertura constante de f/2.0 e atinge um zoom ótico que pode ampliar um elemento até oito vezes, o equivalente a um intervalo de distância focal 30-250 mm. A velocidade de obturação consegue chegar aos 1/4000 segundos. 

A máquina fotográfica tem ainda Wi-Fi integrado, uma entrada USB 3.0 e uma entrada para cartões SD. Na parte traseira da câmara há um ecrã de quatro polegadas ajustável. 

O equipamento vai chegar a Portugal em junho e terá um preço de 1.299 euros. A nível internacional a câmara tem recebido críticas mistas: enquanto há quem louve a inovação que a Illum introduz no mercado, mas a máquina em si acaba por ser limitada nos cenários de utilização e o preço também não é o mais convidativo para uma grande parte dos consumidores. 


                      



Veja o video: 




Para mais informações consulte o site: http://tek.sapo.pt/multimedia/camara_fotografica_revolucionaria_lytro_illum_1441962.html


Nikon pôs cão a fotografar com o coração

Ver o mundo do ponto de vista de um cão. É esta a proposta que a empresa japonesa Nikon avançou recentemente, através da experiência Heartography, qualquer coisa como fotografia do coração. Basicamente, sempre que o batimento cardíaco de um cão dispara, a máquina fotográfica dispara também e é tirada uma fotografia. Como seria de prever, apenas se podem esperar fotos da cintura para baixo, isto do ponto de vista do humano.

Não há qualquer indicação pela Nikon de que o produto chegue a ser alguma vez comercializado. Aparentemente, o dispositivo criado para que os cães possam tirar fotografias poderá não passar de uma outra forma de publicitar a recente câmara Coolpix L31, mas a verdade é que funciona, segundo as imagens e vídeo divulgados pela própria empresa.

Grizzler, um border collie, preto e branco, é o cão que a Nikon utilizou para a demonstração da experiência Heartography. Uma Coolpix L31 é colocada dentro de uma caixa criada por uma impressora 3D, que depois é colocada no pescoço do animal numa coleira.

Quando o sistema é accionado, é possível determinar com a ajuda de dois botões na caixa a partir de que batimento cardíaco do cão é feito o disparo. Sempre que o coração bate mais depressa, porque o animal vê o dono, ou um gato, vai dar um passeio ou a taça de comida acabou de ser cheia, essa aceleração é registada e a informação é enviada por Bluetooth para a caixa que envolve a câmara. Registado um batimento cardíaco mais acelerado e acima do previamente indicado, a máquina dispara e é tirada uma foto.


A qualidade das imagens não é decepcionante. Poderia dizer-se que está dentro da média de qualquer pessoa que tira uma fotografia, sem grande cuidado estético.

Parece mentira? Veja o vídeo:




O Spotify vai ter vídeos

O Spotify oficializou o que há algum tempo se vinha a especular. Aquele que é o maior serviço de streaming de música por subscrição, nascido na Suécia, actualizou a sua plataforma e vai ter vídeos e conteúdos originais e exclusivos, incluindo podcasts. Para ter conteúdos de vídeo, que nem sempre estarão directamente ligados a música, o Spotify assinou parcerias com a Vice News, BBC, NBC, MTV, Comedy Central ou TED, ficando, no entanto, por esclarecer que tipo de vídeos vai usar destes parceiros.

O fundador do Spotify, Daniel Ek, confirmou esta quarta-feira, num encontro com jornalistas, que decorreu em Nova Iorque, a adição ao serviço, que, segundo números da empresa, ajuda a descobrir uma média de dois mil milhões de artistas por mês. Ek afirmou que adicionar conteúdos de vídeo era “inevitável”. “Acreditamos que irá manter os utilizadores felizes e ligados ao Spotify durante todo o dia", acrescentou. A ideia é que com estes conteúdos as “pessoas ouçam também mais música”.

O Spotify passa a sugerir vídeos e podcasts e, com base no que o utilizador passa a escolher, essas sugestões serão adaptadas aos seus interesses. "Hoje estamos a introduzir uma nova experiência Spotify que é mais acessível, pessoal, e utilizável do que qualquer coisa na música", resumiu Ek.

Além dos vídeos e podcasts, o utilizador passa a ter na app do Spotify a página Now (agora), onde são mostradas listas de músicas para cada momento do dia. Basicamente, de manhã as sugestões terão em conta a banda sonora ideal para começar o dia, enquanto ao final do dia as propostas podem ser de música mais relaxante. Apesar do utilizador poder criar as suas próprias listas, o Spotify pode gerá-las com base nos gostos prévios demonstrados pelo utilizador. A ideia é o serviço perceber o que o utilizador gosta e antecipar sugestões com base na informação anteriormente recolhida.

Outra das novidades é o Spotify Running. Com esta funcionalidade, o serviço tenta adaptar o ritmo da música ao ritmo do passo de corrida do utilizador. Através da sua app, o Spotify consegue detectar o tempo do passo de corrida e rapidamente sugere uma música que combina na perfeição com o exercício. Segundo o Sportify, são precisos apenas cinco segundos para encontrar a música perfeita para fazer exercício. A ideia é motivar o utilizador enquanto se exercita.


Afinal, o homem inteligente andou na terra mais cedo do que se pensava


Descobriram-se as primeiras ferramentas pré-humanas. Têm 3,3 milhões de anos, são as mais antigas de que há conhecimento e provam que a tecnologia da pedra apareceu bastante mais cedo do que se pensava entre os antepassados dos seres humanos

Investigadores creem ter descoberto, no Quénia, as ferramentas humanas mais antigas, com 3,3 milhões de anos, revela esta quarta-feira a revista "Nature." 
De acordo com a agência Efe, a descoberta, feita a oeste do lago Turkana, recua em 700 mil anos o aparecimento das primeiras ferramentas em pedra lascada. Até à data, as mais antigas ferramentas, encontradas em Gona, na Etiópia, tinham 2,6 milhões de anos. 

Os novos instrumentos são igualmente 500 mil anos mais antigos do que os primeiros vestígios do género Homo, antepassado direto dos humanos, e provam a existência de capacidades cognitivas e motoras necessárias ao fabrico de ferramentas em pedra entre os hominídeos. 

De acordo com a principal autora do estudo, Sonia Harmand, da Universidade de Stony Brook, nos Estados Unidos, a descoberta "revela que um outro género de hominídeo, talvez uma forma de australopiteco mais antiga, tinha já capacidades cognitivas e motoras necessárias à produção de ferramentas". 

O estudo, sustentou, "refuta a hipótese de longa data de que o Homo habilis foi o primeiro fabricante de ferramentas". Falta agora à equipa da investigadora definir que espécies de hominídeos puderam produzir estes instrumentos. 

A coleção de novas ferramentas inclui bigornas, martelos de pedra e percutores. A forma dos instrumentos encontrados no Quénia indica que foram usados com toda a força possível, para obter lascas afiadas e esmagar objetos. 

Pergunta de segurança? Um hacker pode adivinhá-la “facilmente”

Quando ao criarmos um mail ou algo assim e que nos pedem uma pergunta de segurança, até que ponto isso poderá ser seguro?

Já nos devemos ter perguntado isso e, a Google analisou centenas de milhões de processos de pedidos à Google para recuperação das respectivas contas e concluiu que as  perguntas secretas não são suficientemente seguras nem fidedignas para serem utilizadas exclusivamente como ferramenta de recuperação de contas. As respostas ou são seguras ou fáceis de lembrar – mas raramente ambas.
As perguntas mais comuns podem ser:

Qual era o nome do seu primeiro animal de estimação?
Qual é a sua comida favorita?
Qual é o nome de solteira da sua mãe?
O que é que estas questões aparentemente aleatórias têm em comum? Todas elas são exemplos conhecidos das habituais “questões de segurança”. Provavelmente, já teve de responder, pelo menos, a uma delas. Muitos serviços on-line usam este tipo de questões para ajudar os utilizadores a recuperarem a acesso às suas contas nos casos de terem esquecido as palavras-passe ou para adicionarem mais um nível de a segurança para protecção do utilizador em relação a acessos suspeitos
Porém, apesar da prevalência das questões de segurança a verdade é que a sua real eficácia raramente foi estudada em profundidade.  As  conclusões da Google, resumidas num paper permitem concluir que este tipo de perguntas secretas não são suficientemente seguras nem fidedignas para serem utilizadas exclusivamente como ferramenta de recuperação de contas. É que elas encerram em si uma falha fundamental: as suas respostas ou são seguras ou fáceis de lembrar – mas raramente ambas.


Divulgado o primeiro trailer do filme "Steve Jobs"

São vários os filmes relacionados com Steve Jobs a serem criados, já que é uma das figuras mais importantes para o mundo da tecnologia e que verdadeiramente revolucionou esse pequeno grande mundo, e o mais recente, designado de Steve Jobs, recebeu o primeiro trailer.
Veja o video:




terça-feira, 19 de maio de 2015

LG Lancet é o novo smartphone com Windows Phone





A LG lançou o seu primeiro smartphone com Windows Phone 8.1, por agora ainda só disponível nos EUA.

Quando a Microsoft anunciou o Windows Phone, apresentou vários parceiros, mas a verdade é que pouco mais do que eles próprios têm lançado smartphone com o sistema operativo móvel da Microsoft. Hoje conhecemos um novo fabricante que também aposta do Windows Phone, a LG.

O LG Lancet foi apresentado pela operadora norte-americana Verizon e destaca-se pelo seu preço 120 dólares sem contrato, aproximadamente 105€, o que é um valor muito interessante quando o comparamos com os próprios smartphones da Microsoft.

O LG Lancet tem um ecrã de 4,5 polegadas com resolução 480x854p, processador Snapdragon 410, 8GB de armazenamento, suporte a microSD, câmara de 8MP e frontal de 0,3MP, e uma bateria de 2100mAh. Não há referência quanto à RAM, mas deverá ser 1GB de RAM.

Há ainda algumas funcionalidades que só temos visto no Android, como o LG KnockOn e o QuickMemo.

Para a Konami o futuro esta nos dispositivos móveis





A Konami está em transformação e ao que parece o futuro da empresa passa por se concentrar em jogos para os dispositivos móveis.

Os jogos para smartphones e tablets já mostram o seu potencial ao serem responsáveis por grande parte do aumento do lucro da empresa, o que tornou lógico esta mudança de estratégia.

A Konami dispõe de jogos de grande sucesso nas consolas como o Pro Evolution Soccer ou Metal Gear Solid, estando já a pensar na melhor forma de trazer estes, e outros títulos, para o mercado dos dispositivos móveis.

Resta saber de que forma este processo vai ser feito e se os utilizadores de consolas vão ser esquecidos ou se vão continuar a contar com novidades por parte da Konami.

Ultra-HD Blu-Ray pode chegar ainda este ano





As especificações do Ultra-HD Blu-Ray, 4K, já foram reveladas, sendo que ainda este ano podem começar a surgir Blu-Rays já com este novo formato.

Alguns serviços de streaming online já têm vídeos em resolução 4K mas este formato ainda não tinha chegado aos meios físicos. No entanto para conseguir assistir a um filme em 4K através de stream, além de um ecrã que suporte essa resolução, é necessário uma grande largura de banda, que nem todos os utilizadores têm.

Agora a Blu-Ray Disc Association divulgou as especificações finais do Ultra-HD Blu-Ray, iniciando-se assim o processo que levará à chegada de leitores e discos compatíveis ao mercado dentro de alguns meses.

A resolução suportada será até 3840 x 2160, com gama de cores BT 2020, High Dynamic Range (HDR), até 60 frames por segundo, fazendo uso de um codec HEVC que usa h265. Este formato inclui ainda suporte aos padrões de áudio Dolby Atmos e DTS:X, que prometem disponibilizar um som em múltiplos canais sem perda de qualidade que permita criar um ambiente sonoro virtual sem limitar o som a um número fixo de canais e colunas.

O logótipo oficial também já foi revelado, é a imagem que se encontra acima do texto.

Cada camada de um disco UHD-BD pode conter até 33GB de dados, sendo que cada disco podem ter até três camadas, totalizando assim cerca de 100GB.

No final do mês de junho começam a ser distribuídas as licenças aos fabricantes, sendo expectável que até final do ano comecem a surgir os primeiros lançamentos com este formato.

Dia Mundial da Internet

O Dia Mundial da Internet celebra-se a 17 de maio. A data visa fazer uma reflexão sobre as potencialidades e desafios das novas tecnologias na vida dos cidadãos.
A data foi estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em janeiro de 2006 e é também conhecida como Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade de Informação.

Origem da Internet

A internet teve origem no decurso da segunda guerra mundial, nos finais dos anos 60, tendo como objetivo criar um canal de comunicação específico para os serviços militares norte-americanos.
O advento da internet originou uma grande mudança no dia-a-dia das pessoas, na forma como comunicam entre si, como procuram e recebem informação, compram bens e serviços, entre muitas outras ações do quotidiano.

Desafios da Internet

Frequentemente a internet origina diferentes tipos de discussões públicas, que resultam do facto de muitos dos conteúdos que estão disponíveis na internet não serem verdadeiros ou não estar devidamente atribuída a autoria de um determinado conteúdo, como por exemplo, a utilização de imagens e textos. A partilha de conteúdos sem autorização dos autores é outro tema que levanta polémica na internet.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Windows 10 Mobile: nova build disponível



Windows 10 Mobile: nova build disponível


Na última quarta-feira a Microsoft disponibilizou a build 10080 para o Windows 10 Mobile. A empresa norte-americana continua assim a apostar no lançamento das suas versões preview através do programa Windows Insiders.
A nova versão inclui bastantes melhorias e suporte a alguns smartphones que não constaram anteriormente na lista, como são os casos do Lumia 930/Lumia Icon, Lumia 640, 640XL e do HTC One (versão Windows).
Em relação às novidades, destaque para a Windows Store Beta com um novo design. Como se trata da versão beta existem ainda algumas arestas a serem limadas, como por exemplo, o número de aplicações disponível é limitado.

Phree, a caneta smart

Phree, a caneta smart anunciada no site de financiamento colaborativo Kickstarter, permite que o utilizador escreva num papel ou qualquer outra superfície e veja o conteúdo directamente na tela do seu dispositivo móvel.


Desenvolvido pela startup israelita OTM Technology, o objecto possibilita escrever, anotar, desenhar e expressar-se da forma como o utilizador preferir. Qualquer superfície pode ser usada: mão, vidro, mesa, papel e até a porta do frigorífico na hora de marcar a lista de compras.
A caneta liga-se com os dispositivos via Bluetooth e também é compatível com softwares e aplicações como Office, Acrobat, OneNote, EverNote, Google Handwriting Keyboard e Viber.

A tecnologia funciona com um sensor 3D acoplado que capta os movimentos desenhados e processa as informações para serem lidas no dispositivo conectado. Também é possível atender ligações, já que a caneta pode funcionar como headphone de ouvido Bluetooth. Possuindo uma tela integrada à estrutura, promete mais facilidade na hora de realizar as tarefas do dia-a-dia. O aparelho pode ser usado até como rato.
A Phree custa a partir de 128 dólares, com previsão de entrega a partir de Março de 2016. O projecto já arrecadou 297 mil dólares, quase o triplo da meta estipulada previamente.


domingo, 17 de maio de 2015

Spotify poderá avançar para streaming de vídeo

A maior empresa de streaming de Áudio, o Spotify está a ponderar alargar o seu mercado atual. Ao que tudo indica a empresa prepara-se para entrar no streaming de vídeo, alargando assim a sua oferta para os utilizadores.
Está notícia não é ainda oficial, mas a novidade deverá sempre anunciada no evento que o Spotify esta a organizar no próximo dia 20 de Maio.
Ainda não existem muitos detalhes do modelo de negócio, mas a vontade da empresa passará pelo desenvolvimento de séries originais e conteúdos que sejam produzidos para o Youtube.
As produtoras de conteúdos de vídeos mostram-se preocupadas devido às dificuldades na obtenção de receita. Exemplo de problemas deste género é o álbum “1989” da Taylor Swift que foi retirado do Spotify por não gerar receitas satisfatórias.
Está é mais uma estratégia do Spotify para conquistar o streaming de conteúdos na Internet. Recentemente, o Sony Music Unlimited foi também substituído1010 pelo Spotify na PlayStation.

spotiy

Image Identify: site é capaz de identificar qualquer imagem

Criado pelo professor e investigador Stephen Wolfram, este site é capaz de identificar qualquer objeto numa fotografia.
Apesar de ainda estar em fase de testes, o Image Identify já é capaz de reconhecer numa fotografia pessoas, frutos, animais e outros objetos.
De acordo com o The Verge, Stephen Wolfram reconhece que o site ainda não é 100% correto nas suas identificações, principalmente quando se trata de objetos incomuns, mas que está a aprender e irá melhorar.
Basta arrastarem uma imagem e “largá-la” para que o site a identifique.

Capturar

Desbloquear o telemóvel com a retina do seu olho


"A Fujitsu tem vindo a mostrar uma tecnologia que desenvolveu e integrou num telemóvel e que usa esta opção para permitir o acesso do utilizador a tudo o que está para além do ecrã de bloqueio do smartphone. 

O Arrows NX F-04G é apresentado como o primeiro smartphone do mundo com tecnologia embutida para o reconhecimento pela iris. Vai ser lançado no final de maio mas, pelo menos por enquanto, não se prevê que chegue a sair do Japão, já que vai ser lançado no âmbito de uma parceria com a operadora local DoCoMo. 

A funcionalidade vai dar uma segurança adicional a todos os dados guardados no dispositivo, já que serve para desbloquear o ecrã de início, mas também para autorizar operações específicas, como pagamentos.

O sistema criado pela Fujitsu fica ativo depois de o utilizador gravar informação da iris no telefone, usando a aplicação para o efeito e seguindo os passos necessários, que passam por olhar para uns círculos no ecrã. Essa informação é recolhida com ajuda da câmara de infravermelhos e LED e fica armazenada para que seja comparada com os dados fornecidos de cada vez que tentar usar o smartphone. 


Para criar este smartphone (que mostrou primeiro na última edição do Mobile World Congress), a Fujitsu recorreu a um standard aprovado pela FIDO - Fast Identity Online, organização que conta com o apoio de vários gigantes da indústria, como a Microsoft ou a Google. Garante ter conseguido chegar a um produto com uma taxa de erro de 1 para 100 mil. O equipamento que a suporta conta com uma câmara de 21 megapixeis, um ecrã de 5,2 polegadas de qualidade QHD (2560x1440 pixeis), 3GB de RAM e 32 GB para armazenamento. 

As alternativas às passwords tendem a ganhar espaço nos próximos anos e mesmo nos telemóveis há sinais claros disso, como o reconhecimento por impressão digital que já é uma realidade em alguns topos de gama. Os desenvolvimentos em torno do reconhecimento pela iris para telemóvel também são antigos e a Fujitsu não foi a primeira a conseguir criar um sistema capaz de tirar partido da câmara dos equipamentos para leitura de dados biométricos. Agora ganha destaque porque conseguiu integrar isso num produto que vai chegar ao mercado em condições semelhantes às dos outros produtos do mesmo segmento."


The Void: O parque de diversões que leva a realidade virtual a outro nível

Se a realidade virtual é um segmento tecnológico que o entusiasma, então precisa de conhecer o The Void. Para o caso de ainda não estar totalmente convencido, talvez o vídeo que revela o conceito por trás do parque de diversões o faça mudar de ideias: 


O objetivo é criar a experiência de realidade virtual mais imersiva possível. Para isso contam com tecnologia própria - o capacete e o colete que detetam o posicionamento e o movimento -, com criações digitais e com elementos físicos. 

“Queria salta da minha cadeira e andar a vaguear. Eu queria lá estar [na realidade virtual], mas sentia que estava separado desse mundo por estar apenas sentado a jogar. E muitas vezes levantava-me e não conseguia fazer nada”, disse um dos responsáveis do projeto, Ken Bretschneider, em entrevista ao The Washington Post
Cada sala do The Void terá cerca de 20 metros quadrados e um tema específico. Como foi possível ver no vídeo as temáticas podem ser variadas, desde um épico fantasioso a uma aventura guerrilha futurista. 

E futurista é algo que o parque de diversões em si não é pois a abertura do parque de diversões está previsto já para o ano no estado norte-americano do Utah, mas Ken Bretschneider admite que podem existir atrasos. 

Até agora o empreendedor já investiu 13 milhões de dólares neste projeto que permite que até dez pessoas estejam a jogar no mesmo cenário em simultâneo. O objetivo é expandir o conceito também para a Europa e para a Ásia a longo termo. 

Muitos acreditam que o mercado da realidade virtual vai dar o "salto" em 2016 quando dois dos principais projetos do segmento - Oculus Rift e Project Morpheus - ficarem disponíveis para os consumidores ainda durante o primeiro semestre. 

Praça do Comércio vai ter novo espectáculo multimédia



"Entre 22 e 31 de Maio, às 21h30, 22h30 e 23h30, o Arco da Rua Augusta no Terreiro do Paço em Lisboa, vai estar vestido de pescadores, varinas, barcos e mar.

O espectáculo multimédia chama-se "Lisboa, Cidade do Mar", é da autoria 
Oskar & Gaspar, e inclui imagens realistas e animações 2D e 3D que retratam momentos contemporâneos e históricos relacionados com a cidade e o mar (como a altura dos Descobrimentos e provas náuticas).

Até ao final do mês, Lisboa vai ter outras actividades ligadas ao mar, como a Volvo Ocean Race."