sábado, 21 de janeiro de 2012

2,1 mil milhões de pessoas navegaram na Internet em 2011

Até dezembro de 2011, 2,1 mil milhões de pessoas, em todo o mundo, navegaram na Internet, que à data contava com mais de 555 milhões de sites online, 300 milhões dos quais criados nesse mesmo ano.

Mais de 3 milhões de contas de email - com o Hotmail a liderar os serviços baseados na Web, com 360 milhões de utilizadores-, 1 bilião de vídeos vistos e 48 horas de vídeos carregados por minuto no YouTube, 60 fotografias carregadas a cada segundo através do Instagram e 4,5 milhões de fotos carregadas por dia para o Flickr são outros dos números a reter.

As conclusões fazem parte de uma análise a alguns dados sobre a utilização da Web durante o ano que passou, levada a cabo pela empresa de monitorização Pingdom, que reuniu informações provenientes de diversas fontes.

De acordo com os dados agora revelados, quase metade dos internautas (45%) que fizeram uso da rede em 2011 tinham menos de 25 anos, com a Europa a surgir como a segunda região geográfica com maior número de utilizadores: 476,2 milhões.

O continente asiático é o responsável pela maior fatia de internautas, 922,2 milhões, numa região onde só a China (o país com a maior população online do mundo) contribui com 485 milhões de utilizadores. O número diz respeito a uma contagem feita em março de 2011, ilustrativa do impressionante crescimento registado face a junho de 2010, em que se ficava pelos 825 milhões.

América do Norte (271,1 milhões de internautas), América Latina e Caraíbas (251,9 milhões) África (118,6 milhões) e Médio Oriente (68,6 milhões) ocupam as restantes posições da lista, depois de terem, tal como a Europa, registado um “crescimento modesto” durante o ano que passou no que respeita ao número de utilizadores de Internet.



In Tek.sapo.pt

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Google+ chega aos 90 ilhões de utilizadores


A rede social Google+, a mais recente aposta da Google neste segmento, já tem mais de 90 milhões de membros registados.
Esta revelação foi feita pelo CEO da Google, Larry Page, durante a apresentação dos resultados da gigante da Web.

Segundo o responsável, a rede social da Google tem actualmente mais de 90 milhões de utilizadores, 60 por cento dos quais acede diariamente ao site.

Durante a apresentação dos resultados, que ficaram abaixo das expectativas dos analistas, Larry Page mostrou-se satisfeito com a forma como a rede social lançada em Junho está a ser recebida, realçando que desde então já foram introduzidas mais de 200 actualizações ao site.

No que diz respeito aos resultados do quarto trimestre propriamente ditos, a Google anunciou resultados abaixo do previsto tanto a nível dos lucros como nas receitas.

Apesar disso, a Google revelou que no último trimestre de 2011 teve lucros de 2.71 mil milhões de dólares, valor acima dos 2.54 mil milhões registados no mesmo período em 2010.


Fonte: http://sol.sapo.pt/inicio/Tecnologia/Interior.aspx?content_id=39389
Data de visualização: 20 de Janeiro de 2012

"Anonymous" ataca site do departamento de justiça dos EUA e do FBI




É a resposta do grupo à decisão da justiça norte americana de fechar a página da internet Megaupload. O site de partilha de ficheiros é acusado de pirataria. O fundador da página e pelo menos sete funcionários foram detidos.
O Megaupload.com ficou inacessível desde quinta-feira à tarde nos Estados  Unidos e 18 outros páginas filiadas foram encerradas pela justiça norte-americana,  que apreendeu 50 milhões de dólares das contas da sociedade com sede em  Hong Kong e processou sete dos seus responsáveis, anunciaram na quinta-feira  as autoridades norte-americanas. 
O FBI (polícia federal norte-americana) e o ministério da Justiça norte-americano  consideraram num comunicado que se tratava de um dos "maiores negócios de  violação dos direitos de autor jamais realizados nos Estados Unidos". 
Segundo as autoridades norte-americanas, as sete pessoas processadas  são "responsáveis por uma pirataria considerável na Internet de numerosos  tipos de conteúdos protegidos pelos direitos de autor através do Megaupload.com  e de outras páginas de Internet". 
Estas pessoas são acusadas de ter ganho cerca de 175 milhões de dólares  com o negócio, provocando "mais de meio milhão de dólares de perda aos detentores  dos direitos", oferecendo na sua página filmes, séries e outros produtos  pirateados, prosseguem as autoridades americanas. 

Tendências tecnológicas que podem marcar 2012

A CES é a grande feira de electrónica de consumoA CES é a grande feira de electrónica de consumo (Steve Marcus/Reuters)
  

Portáteis ultrafinos, carros com Facebook e a dupla aposta da Microsoft para o futuro. São algumas das tecnologias mostradas na semana passada na CES, a maior feira de electrónica de consumo. Podem vir a fazer parte do seu quotidiano.
Ao longo da semana passada, e como acontece todos os anos, centenas de marcas reuniram-se em Las Vegas, nos EUA, para mostrar novidades. Em alguns casos, a tecnologia exibida na feira Consumer Electronic Show (CES), o maior evento do género, acaba por entrar nas casas e nos hábitos dos consumidores. Noutros, é apenas aquilo que as empresas gostariam de vender mas não conseguem, porque os compradores acabam por seguir numa direcção diferente.

Finos, leves e não são tablets
Há dois anos, uma das promessas da CES eram os smartbooks: portáteis muito pequenos, híbridos de computador e telemóvel, feitos a pensar em quem pretendia muita mobilidade e uma conectividade constante. Mas a Apple lançou nesse ano o iPad e a indústria teve de correr atrás dele, esquecendo os smartbooks e produzindo tablets em catadupa, que, por sua vez, foram as estrelas da edição de 2011.

Este ano, a CES apresentou uma proliferação dos chamados ultrabooks. Basicamente, são portáteis muito finos e leves, mas com ecrãs de dimensões suficientemente grandes e com capacidade técnica para poderem ser usados em situações de lazer e de trabalho com conforto. Inspiram-se no Macbook Air, que a Apple apresentou em 2008 como o computador mais fino do mundo.

Para trás no mundo da mobilidade já ficaram há muito os netbooks (os portáteis pequenos, baratos, mas com desempenho reduzido). Marcas como a Dell, a Samsung, a Sony e a Lenovo mostraram nesta CES ultrabooks equipados com o Windows 8, o próximo sistema operativo da Microsoft, que ainda não chegou ao mercado.

Google na televisão
É a segunda tentativa de incursão da televisão do Google, e é feita pela mão de fabricantes de peso: Sony, Samsung e LG são as três principais marcas a apresentar modelos equipados com a Google TV.

Trata-se de uma plataforma de televisão interactiva, que o Google lançou em 2010 e cuja base assenta também no sistema operativo Android, o mesmo que equipa telemóveis e tablets. Mistura a experiência televisiva, com a de navegação na Web, a visualização de vídeos de sites como o YouTube (também do Google) e permite ainda o uso de aplicações, devidamente adaptadas para um ecrã grande. Para aproveitar as funcionalidades, os comandos incluem um teclado qwerty completo. A tecnologia pode vir já integrada no próprio televisor ou ser comprada num aparelho à parte que se liga à televisão.

Tanto por parte da imprensa especializada, como dos consumidores, a recepção da Google TV foi fraca na altura do lançamento. Mas, com esta segunda vaga de esforços para comercializar aparelhos com esta plataforma, o televisor, um sistema de interactividade crescente mas que ainda é sobretudo uma experiência de consumo passivo, parece ser o dispositivo no qual as empresas tecnológicas estão ansiosas por entrar. A Apple tem há alguns anos no mercado a Apple TV, que também teve uma recepção tépida - mas há muito que circulam vários rumores sobre uma nova cartada da empresa (que, como habitualmente, não tem presença na CES) neste segmento.

Para além das marcas que apostaram na Google TV, a multinacional chinesa Lenovo (um dos maiores fabricantes mundiais de computadores) mostrou na CES a sua primeira televisão, com uma abordagem diferente da dos rivais. Em vez de usar a tecnologia da Google TV, decidiu adaptar a mais recente versão do sistema operativo Android, que é desenvolvido pelo Google e de uso livre. Contrariamente ao Google TV, o Android 4.0 foi pensado para smartphones e para tablets.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Apple quer reinventar os livros escolares com a ajuda do iPad

A Apple apresentou hoje um novo serviço para o sector da Educação com o qual pretende incentivar a utilização de livros escolares digitais e reinventar a imagem destes livros
Denominado iBooks 2, o novo serviço foi desenvolvido em parceria com três editoras (Pearson PLC, McGraw-Hill e Houghton Mifflin Harcourt) que, segundo dados da agência Reuters, são responsáveis por 90 por cento do mercado de livros escolares nos EUA.
Através deste serviço é possível criar conteúdos semelhantes a livros escolares, mas em formato digital.
Durante a apresentação, que decorreu no Museu Guggenheim, em Nova Iorque, o responsável de marketing da Apple, Phil Schiller, demonstrou algumas funcionalidades da aplicação e a forma como esta pode ser utilizada tanto pelos autores de livros escolares como pelos próprios docentes para criarem conteúdos.
Citado pela agência noticiosa, Phil Schiller considerou que este serviço irá mudar a imagem tradicional dos livros escolares.
O mesmo responsável sublinhou durante a apresentação do iBooks 2 que «é difícil não ver que um livro escolar nem sempre é a ferramenta ideal para aprender».
A nova aplicação para iPad já se encontra disponível gratuitamente na loja de aplicações a partir de hoje e de acordo com a Apple, cada livro escolar digital criado com a tecnologia será comercializado por 14.99 dólares ou menos.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

"Googlar" reconhecido como verbo

"Dicionário Merriam-Webster reconhece o termo como sinónimo de pesquisa usando o motor de busca Google.

Eu "googlo", tu "googlas", ele "googla"...O nome do motor de busca mais célebre da Internet já é oficialmente um verbo, sinónimo de pesquisa. É assim que consta na nova edição do dicionário norte-americano Meriam-Webster.

in Público"

In Da comunicação à expressão: exercícios gramática prática de português,  M. Olga Azeredo, M. Isabel Freitas M. Pinto e M. Carmo Azeredo Lopes, LISBOA editora
à data de quarta feira, 18 de janeiro de 2012

O Facebook pode chegar aos mil milhões de utilizadores até Agosto

Segundo o Facebook, há 800 milhões de utilizadores registados e a continuar o aumento registado, atingirá os mil milhões de utilizadores em Agosto.
A previsão foi avançada pela iCrossing, empresa que tem estudado a evolução do Facebook.
Facebook-logoSegundo os cálculos da empresa, será em Agosto deste ano que o Facebook atingirá os mil milhões de utilizadores registados na rede social.
Segundo a empresa, os países que irão ajudar neste crescimento serão os países mais populosos, que são os países chamadas “em desenvolvimento”, que estão em grande evolução e há cada vez mais pessoas com acesso à internet.
Segundo a iCrossing, apenas 16% dos brasileiros têm uma conta do Facebook e apenas 3% dos indianos. Enquanto os europeus, são 37% que estão presentes nas redes sociais. Esta é a expectativa da iCrossing para este ano.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Wikipedia fecha 24 horas em protesto contra lei anti-pirataria nos EUA



"O fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, confirmou, esta segunda-feira, que a versão inglesa da enciclopédia digital vai juntar-se ao protesto contra uma proposta de lei anti-pirataria nos EUA, suspendendo o funcionamento por 24 horas na quarta-feira.
Das 5 horas de quarta-feira às 5 horas de quinta (horas de Lisboa), a Wikipedia vai encerrar, à semelhança de outros serviços, como o reddit, depois de Jimmy Wales o ter anunciado na sua conta de Twitter: "Espero que a Wikipedia derreta os sistemas telefónicos em Washington na quarta-feira. Digam a toda a gente que conhecerem!"
De acordo com o fundador da Wikipedia, mais de 100 milhões de pessoas serão afectadas pelo corte, com a suspensão do serviço nas outras línguas a ser deixada à escolha das respectivas comunidades.
"Alerta aos estudantes! Façam o vosso trabalho de casa cedo. A Wikipedia vai protestar contra a lei má na quarta-feira!", escreveu Jimmy Wales no Twitter hoje à tarde.
A proposta de lei "Parem a pirataria online" ("Stop Online Piracy Act", ou SOPA, no acrónimo original) tem sido fortemente contestada nos Estados Unidos, desde activistas a empresas de Silicon Valley, tendo a Casa Branca mostrado a sua oposição na semana passada.
Enquanto várias empresas de conteúdos encaram a lei como importante para a protecção dos direitos de autor, as tecnológicas opõem-se ao documento pelo que alegam ser uma intrusão no seu trabalho.
Uma página intitulada "Luta pelo futuro", com 116 mil seguidores no Facebook, acusa a lei proposta de poder "quebrar a Internet" por causa das "imensas maneiras de como vai refrear a liberdade de expressão e inovação", segundo o modelo da carta que têm enviado aos membros do Congresso."

In Jornal de Notícias online: tecnologia
à data de terça feira, 17 de janeiro de 2012

domingo, 15 de janeiro de 2012

A Wikipedia também se engana!!



"Em onze anos, a Wikipedia, que evoluiu de um projecto que pretendia ser uma enciclopédia online em moldes tradicionais, tornou-se um gigantesco repositório de informação, incontornável para quem faz pesquisas na Internet - a própria estrutura do site ajuda a que seja quase sempre um resultado cimeiro nas pesquisas do Google.




1

"Maitê Proença Gallo (n. São Paulo, 28 Janeiro 1959) é uma estrela porno brasileira, também conhecida pelos seus comentários ignorantes que envergonham o povo brasileiro." No dia 14 de Novembro de 2009, era assim que começava a página sobre a conhecida actriz brasileira. A descrição foi feita em retaliação por causa de um vídeo que fora transmitido dois anos antes, num canal brasileiro, mas que só em 2009 chegou ao conhecimento dos espectadores portugueses, através de um vídeo no YouTube, que depressa foi exibido também nas televisões. Nas imagens, Proença faz comentários trocistas sobre Portugal e cospe numa fonte do Mosteiro dos Jerónimos. A actriz e o canal acabaram por pedir desculpas.

2
O assassinato do antigo Presidente norte-americano John F. Kennedy e do seu irmão mais novo, Robert F. Kennedy, são motivo de especulações várias. Em 2005, um utilizador anónimo colocou na Wikipedia várias informações que indicavam que um jornalista americano chamado John Seigenthaler (amigo e, a dada altura, conselheiro de Robert) estava envolvido na morte de ambos. A entrada em causa esteve mais de quatro meses online, antes de ser retirada pelos gestores do site, a pedido de Seigenthaler. O incidente lançou um debate aceso sobre o funcionamento da Wikipedia.

3
Esta não convencia ninguém. Durante um breve período (nem sempre acontece, mas há erros na Wikipedia que são corrigidos quase imediatamente), David Beckham (que mesmo quem não tem interesse nenhum por futebol sabe quem é) estava descrito como um guarda-redes chinês do século XVIII.

4
Talvez um nível acima na escala da verosimilhança de que a nacionalidade de Beckham era chinesa -mas, mesmo assim, rapidamente desconstruída - era a informação de um romance entre o co-fundador do Google Sergey Brin e o fundador da Wikipedia Jimmy Wales. A dada altura, a entrada sobre Brin também chegou a afirmar, erradamente, que ele tinha morrido em Moscovo.

5
A 2 de Abril de 2007, duas semanas depois de o PÚBLICO ter publicado uma investigação sobre a licenciatura do ex-primeiro-ministro José Sócrates, um utilizador apagou a totalidade do parágrafo alusivo ao caso da Universidade Independente e eliminou ainda a menção ao facto de esta ser uma instituição privada. Não muito tempo depois, as referências ao caso Independente acabaram por voltar a ser introduzidas. Uma semana mais tarde, porém, o mesmo computador do utilizador inicial foi usado para retirar novamente todas as alusões à polémica (incluindo os links para as notícias da comunicação social). As alterações afectaram tanto a versão portuguesa como a versão inglesa com a biografia de Sócrates. O computador em causa fazia parte da rede informática do Governo.

6
No topo da escala de disparates da Wikipedia está também uma frase que surgiu na página do cantor Robbie Williams e segundo a qual este comia animais domésticos em pubs para ganhar dinheiro. Aos 16 anos Williams era já membro da banda Take That, um sucesso da década de 1990. E desde então tem ganho milhões. É pouco provável que tivesse de fazer o que quer que fosse num pub para ganhar dinheiro.

7
O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair é um adorador de Hitler e, quando adolescente, tinha um poster do líder alemão no quarto. Foi apenas uma das muitas informações falsas que povoaram a biografia de Blair. Quando o Governo britânico apoiou a invasão do Iraque, a página da Wikipedia tornou-se quase numa plataforma de acusações políticas, levando à intervenção dos responsáveis da Wikipedia.

8
Em 2009, o senador americano Ted Kennedy protagonizou um dos momentos dramáticos nas cerimónias de tomada de posse de Barack Obama, ao ter um ataque durante o almoço. Kennedy foi conduzido para um hospital e a Wikipedia rapidamente o deu como morto, relatando que tinha morrido "pouco depois" do incidente. Ted Kennedy morreu apenas meses mais tarde, de cancro.

9
Em 2005, o fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, foi apanhado a fazer batota. Wales editou a sua própria biografia, substituindo a expressão "co-fundador" por "fundador" e apagando a informação sobre Larry Sanger, o mentor do conceito de uma enciclopédia online e que esteve envolvido na criação do projecto que veio a dar origem à Wikipedia.

10
Eduardo Catroga é a mais recente vítima em Portugal da liberdade de edição da Wikipedia. A propósito da nomeação de Catroga para o conselho geral e supervisão da EDP, alguém editou a biografia do antigo ministro das Finanças, com um texto que começava por aludir à afamada frase que Catroga proferiu numa entrevista no ano passado na SIC Notícias. Começava assim a página na Wikipedia: "É mundialmente conhecido como o pentelho que ganha milhões."

Notícia corrigida às 19h05. O PÚBLICO também se engana: a Wikipedia celebra hoje onze anos e não dez (está activa desde 15 de Janeiro de 2001), como anteriormente estava escrito

In Público online: tecnologia
à data de domingo, 15 de janeiro de 2012