quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Adicione um útil calendário e agenda ao seu Windows!

O Windows mostra-nos o calendário mensal quando fazemos duplo-clique sobre a hora (barra de tarefas). Embora seja uma informação útil, não podemos fazer mais nada.

Falta por exemplo a possibilidade de anotar compromissos ou datas especiais. Esta função pode ser adicionada, e com muita qualidade, instalando o seguinte programa:

Rainlendar Lite


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

«Anonymous» ataca novamente, desta vez a Sony!

O conhecido grupo de piratas informáticos «Anonymous» atacou a marca japonesa Sony, na sequência do protesto contra o FBI, que encerrou o site de partilha Mega Upload.

Desta vez o alvo foi a multinacional Sony. O grupo de hackers criou uma página de download gratuito de ficheiros do reportório da marca e divulgou o endereço através da rede social Twitter.

Depois da suspensão do site de partilha de ficheiros Mega Upload, cujo fundador está em prisão preventiva por violação de direitos de autor e lavagem de dinheiro, o grupo «Anonymous» deu início a uma vaga de ciber-crimes.


Na primeira fase do «maior ataque informático de sempre», como foi divulgado pelos hackers, os alvos foram os sites do FBI e do Departamento de Justiça norte-americano.

Todos temos uma história...





Para assinalar o marco, atingido em Outubro, de 7 mil milhões de pessoas no mundo, as Nações Unidas lançaram o desafio 7 Billion Actions, que quer inspirar ações positivas em todo o Mundo.

O movimento parte da premissa de que todos temos uma história para contar e desafia os interessados a contá-la online, partilhando os seus objetivos. Podem ainda participar na criação de uma música inspiradora ou no concurso para criar um vídeo que tenha entre 1 e 10 minutos. Este tem de abordar um de sete temas chave: pobreza e a quebra do ciclo de desigualdade, o progresso das mulheres, juventude, direitos e saúde reprodutiva, ambiente saudável e pessoas saudáveis, envelhecimento, planeamento urbano para o crescimento.

Os filmes candidatos devem estar em formato digital, ter entre 1 e 10 minutos de As candidaturas podem ser apresentadas até 15 de Fevereiro e os filmes devem ser carregados no Facebook ou no Votigo. Segue-se a fase de votação, sendo o vencedor anunciado a 8 de Março.

In Tek
http://tek.sapo.pt/extras/site_do_dia/todos_temos_uma_historia_1216223.html

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Professores de Informática dizem que é um retrocesso limitar TIC ao 2.º Ciclo

"Os professores de informática consideram um retrocesso limitar o ensino das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) ao 2.º Ciclo, conforme propõe o Governo no âmbito da revisão curricular intercalar, que está em discussão pública.

A disciplina é actualmente leccionada no 9.º ano (3.º Ciclo) e o Ministério da Educação e Ciência (MEC) pretende transferi-la para o currículo do 5.º e 6.º anos para garantir aos alunos mais novos uma utilização “segura e adequada” dos recursos digitais.

A Associação Nacional de Professores de Informática (ANPRI) afirma, no parecer hoje divulgado, que Portugal até foi pioneiro nesta matéria, mas cita os exemplos de Inglaterra e França no investimento que estão a fazer, mesmo quando adoptam medidas contra a dispersão curricular.

O Reino Unido “considerou as TIC em todos os níveis de ensino (stages 1,2,3 e 4)” e França “aposta na certificação de competências dos alunos em TIC em três níveis”, lê-se no documento.

Os professores concordam com a introdução da disciplina no 2.º Ciclo, mas defendem a manutenção no 3.º Ciclo.

“É com bom grado que vemos a iniciação para as TIC num nível de escolaridade mais baixo”, escrevem os professores, sugerindo que a disciplina seja alternada com Educação Tecnológica, com as turmas divididas por turnos.

Os docentes dizem que, sendo as duas disciplinas de carácter bastante prático, este desdobramento permite desenvolver aulas nas quais os alunos “efectivamente trabalham no computador, consolidando assim as aprendizagens”.

A ANPRI alerta ainda que devem ser os professores de informática (grupo 550) a leccionar a disciplina, que afirmam ter sido muitas vezes, em concursos de oferta de escola, atribuída a “docentes sem habilitação profissional ou própria para o exercício da função, à revelia da lei”.

Assim, alegam ser imprescindível que no documento definitivo da Revisão da Estrutura Curricular, esta questão fique “claramente definida”.

Os professores querem ainda manter a disciplina no 3.º Ciclo, por entenderem que a opção pelo 5.º e 6.º anos não é suficiente para o aluno “desenvolver convenientemente literacias” na área da informação, comunicação, produção e segurança digitais.

“Ao nível do 2.º Ciclo há conceitos e aplicações essenciais que ainda são de difícil compreensão para alunos desta faixa etária. E outros que não podem/devem ser abordados por impedimentos legais”, sustentam.

A ANPRI propõe que a oferta de escola, no 3.º Ciclo, seja substituída pela disciplina de TIC, alternando também aqui com Educação Tecnológica.

A associação volta a defender a necessidade da disciplina de informática no ensino secundário, “de onde foi retirada, deixando os alunos com défice de formação” nesta área.

“Os alunos finalizam o 12.º ano (e entram no Ensino Superior) sem conseguirem fazer um gráfico numa folha de cálculo ou sem saberem integrar informação de uma aplicação num documento estruturado”, exemplificam."

In Público: educação
à data de segunda feira, 23 de janeiro de 2012

Apple apresentou iBook 2 para venda de livros escolares

Apple apresentou iBook 2 para venda de livros escolares

O evento “educacional” da Apple foi isso mesmo, apresentou o iBook 2 para vender livros escolares e o iBook Author para criação de ebooks num Mac.
O evento Educacional da Apple, que alguns gostariam que fosse a apresentação do iPad 3, foi mesmo um evento educacional. A Apple apresentou novos softwares com fins educacionais e algumas novidades em softwares já utilizados.
Vamos começar pela principal novidade, o iBook 2. Esta actualização da aplicação iBook, que servia para ler ebooks nos gadgets da Apple, tem em vista a entrada da Apple na venda de livros escolares e aumentar o uso do iPad nas escolas.
A Apple passará a vender livros escolares através da aplicação, com preços até 14,99 dólares. Os livros poderão ter grande diversidade de conteúdos, como vídeos e som, tornando os livros mais interactivos para os estudantes.
Os primeiros manuais à venda serão para o ensino secundário e será exclusivo para os Estados Unidos. Para terem sucesso nesta área, a Apple estabeleceu parceria com as 3 principais editoras, que produzem 90% dos livros escolares americanos.
Outra das novidades foi a criação de um novo software para criar ebooks didácticos, o iBook Author, exclusivo para Mac. Esta aplicação permite que as editoras ou mesmo os professores possam criam livros para os alunos, podendo usar vídeo e som, que colocaram no iBook 2.
A Apple também forneceu alguns dados relativos à utilização do iPad nas salas de aula americanas, 1,5 milhões de iPads são utilizados para estes fins.
O iTunes U, a versão do iTunes educacional, que permite o acesso a vídeos e material de algumas universidades, mas agora poderá ser criado cursos inteiros. Com esta renovação, o iTunes U aproxima-se ao iBook, mas de uma forma interactiva, com vídeos, palestras ou, até, aulas de línguas.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Imprensa regional vive “dias difíceis” e sem medidas poderão fechar jornais

"A imprensa regional vive “dias difíceis” e, se não forem tomadas medidas, haverá consequências “dramáticas”, nomeadamente o fecho de jornais, como os de inspiração cristã, já afectados pela crise económica e de leitura das novas gerações.

“A crise para a imprensa regional começou há muito”, desde que o Estado “praticamente acabou” com a distribuição da publicidade institucional pelos jornais regionais, que “era o suporte financeiro da sobrevivência” dos títulos, disse à Agência Lusa o presidente da Associação de Imprensa de Inspiração Cristã (AIIC), António Salvador dos Santos.

No entanto, em 2011 “começaram a aparecer, de forma mais consistente, indícios de crise, que ainda não são dramáticos, mas, se nada for feito, corremos o risco de haver consequências dramáticas”, na opinião do presidente da Associação Portuguesa de Imprensa (API), João Palmeiro.

Em 2011, “não terá havido uma quebra abruta nas vendas”, mas “nota-se um aumento das dificuldades em cobrar assinaturas, o que tem impactos na saúde financeira” dos jornais regionais, disse, em declarações à Agência Lusa.

Os assinantes “não pagam a tempo e horas”, há “menos circulação certificada de exemplares” e, por isso, os jornais “têm menos publicidade ou publicidade mais barata e menos apoios do Estado”, através do porte pago, o que leva ao “aumento dos custos de distribuição”, explicou João Palmeiro.

Também “tem havido um decréscimo” na publicidade comercial e, sobretudo, na publicidade institucional e na obrigatória, referiu o presidente da API, que representa cerca de 200 empresas de jornais locais e regionais que editam cerca de 270 títulos.

Em 2011, “os jornais reduziram o que puderam”, sobretudo a nível industrial, ou seja, passaram a ter menos páginas e a usar papel mais barato e, alguns, mudaram a periodicidade, disse.

Segundo João Palmeiro, “estão a esgotar-se as alternativas para as empresas poderem continuar a publicar jornais”, que “vão tornar-se cada vez mais pequenos e menos interessantes e pluralistas e, por isso, terão cada vez menos capacidade concorrencial”.

“Temo que, este ano, vamos estar muito próximos dos limites adequados para um jornal poder ter a diversidade de conteúdos e a pluralidade de pontos de vista necessárias para cumprir de forma adequada o seu papel”, disse.

Os jornais “vão ter dificuldades em empregar jornalistas e em ter conteúdos atractivos e distintivos e, no limite, terão dificuldades em sobreviver” e alguns poderão fechar, avisou João Palmeiro.

“O futuro a Deus pertence. Contudo, há consequências imediatas”, como “o fecho de títulos, o que logicamente vai dando origem a desemprego no sector”, afirmou Salvador dos Santos, referindo que, nos últimos anos, já “desaparecem” cerca de 70 títulos de inspiração cristão num universo de cerca de 700.

A perda de títulos “arrasta-se há alguns anos”, mas acentuou-se nos últimos dois anos, devido também à “crise de leitura das novas gerações, mais seduzidas pela Internet”, explicou o presidente da AIIC, que tem “cerca de 300 títulos a pagar cotas”, mas “tem sido porta-voz” de cerca de 600 títulos de inspiração cristã.

Para evitar estes “riscos”, os jornais regionais “têm que pensar como podem usar a Internet como parte do seu negócio” e é “imprescindível” que o Estado “cumpra as suas obrigações em relação à publicidade institucional e à obrigatória, que são escandalosamente não cumpridas ao nível da imprensa regional”, disse João Palmeiro.

Segundo Salvador dos Santos, “parece” existir “uma consciência do actual momento” e os jornais regionais, “sem alarmes”, estão a “delinear” estratégias, nomeadamente a angariar novos leitores, a reduzir custos e a usar a Internet, “colocando os títulos online e iniciando uma nova fonte de receita”.

Os títulos regionais de inspiração cristã tentam “sobreviver sem uma política de pedincha”, mas exigem a redução dos custos de distribuição de exemplares por assinatura e “equidade na distribuição da publicidade institucional”, disse.
"

In Público online: media
à data de domingo, 22 de janeiro de 2012

"Guimarães nunca mais será a mesma depois deste evento"


Música, ilustres e multidão nas ruas da cidade no primeiro dia da Guimarães 2012
O nervosismo era visível no rosto de Gabriela Freitas, uma dos 50 voluntários que ontem à noite participaram no espetáculo de abertura da Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, a cargo da companhia catalã La Fura dels Baus. Na noite anterior, o ensaio geral tinha sido interrompido pelo incêndio no telhado de um edifício antigo do Largo do Toural, mas ontem foram milhares as pessoas que assistiram ao espetáculo de rua Tempo de Encontros, sobre a memória e o futuro.
"Guimarães nunca mais será a mesma e vai beneficiar muito com este evento. As pessoas estão a aderir, mostram-se curiosas e querem participar. Num momento de crise económica e dificuldades, esta é uma forma de uma cidade crescer, beneficiando-se todos os sectores da sociedade", afirma Gabriela. No total, são 200 os voluntários que se juntaram à organização.

IN: Diário de Notícias
Afonso Ferreira nº1 12º5

sábado, 21 de janeiro de 2012

2,1 mil milhões de pessoas navegaram na Internet em 2011

Até dezembro de 2011, 2,1 mil milhões de pessoas, em todo o mundo, navegaram na Internet, que à data contava com mais de 555 milhões de sites online, 300 milhões dos quais criados nesse mesmo ano.

Mais de 3 milhões de contas de email - com o Hotmail a liderar os serviços baseados na Web, com 360 milhões de utilizadores-, 1 bilião de vídeos vistos e 48 horas de vídeos carregados por minuto no YouTube, 60 fotografias carregadas a cada segundo através do Instagram e 4,5 milhões de fotos carregadas por dia para o Flickr são outros dos números a reter.

As conclusões fazem parte de uma análise a alguns dados sobre a utilização da Web durante o ano que passou, levada a cabo pela empresa de monitorização Pingdom, que reuniu informações provenientes de diversas fontes.

De acordo com os dados agora revelados, quase metade dos internautas (45%) que fizeram uso da rede em 2011 tinham menos de 25 anos, com a Europa a surgir como a segunda região geográfica com maior número de utilizadores: 476,2 milhões.

O continente asiático é o responsável pela maior fatia de internautas, 922,2 milhões, numa região onde só a China (o país com a maior população online do mundo) contribui com 485 milhões de utilizadores. O número diz respeito a uma contagem feita em março de 2011, ilustrativa do impressionante crescimento registado face a junho de 2010, em que se ficava pelos 825 milhões.

América do Norte (271,1 milhões de internautas), América Latina e Caraíbas (251,9 milhões) África (118,6 milhões) e Médio Oriente (68,6 milhões) ocupam as restantes posições da lista, depois de terem, tal como a Europa, registado um “crescimento modesto” durante o ano que passou no que respeita ao número de utilizadores de Internet.



In Tek.sapo.pt

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Google+ chega aos 90 ilhões de utilizadores


A rede social Google+, a mais recente aposta da Google neste segmento, já tem mais de 90 milhões de membros registados.
Esta revelação foi feita pelo CEO da Google, Larry Page, durante a apresentação dos resultados da gigante da Web.

Segundo o responsável, a rede social da Google tem actualmente mais de 90 milhões de utilizadores, 60 por cento dos quais acede diariamente ao site.

Durante a apresentação dos resultados, que ficaram abaixo das expectativas dos analistas, Larry Page mostrou-se satisfeito com a forma como a rede social lançada em Junho está a ser recebida, realçando que desde então já foram introduzidas mais de 200 actualizações ao site.

No que diz respeito aos resultados do quarto trimestre propriamente ditos, a Google anunciou resultados abaixo do previsto tanto a nível dos lucros como nas receitas.

Apesar disso, a Google revelou que no último trimestre de 2011 teve lucros de 2.71 mil milhões de dólares, valor acima dos 2.54 mil milhões registados no mesmo período em 2010.


Fonte: http://sol.sapo.pt/inicio/Tecnologia/Interior.aspx?content_id=39389
Data de visualização: 20 de Janeiro de 2012

"Anonymous" ataca site do departamento de justiça dos EUA e do FBI




É a resposta do grupo à decisão da justiça norte americana de fechar a página da internet Megaupload. O site de partilha de ficheiros é acusado de pirataria. O fundador da página e pelo menos sete funcionários foram detidos.
O Megaupload.com ficou inacessível desde quinta-feira à tarde nos Estados  Unidos e 18 outros páginas filiadas foram encerradas pela justiça norte-americana,  que apreendeu 50 milhões de dólares das contas da sociedade com sede em  Hong Kong e processou sete dos seus responsáveis, anunciaram na quinta-feira  as autoridades norte-americanas. 
O FBI (polícia federal norte-americana) e o ministério da Justiça norte-americano  consideraram num comunicado que se tratava de um dos "maiores negócios de  violação dos direitos de autor jamais realizados nos Estados Unidos". 
Segundo as autoridades norte-americanas, as sete pessoas processadas  são "responsáveis por uma pirataria considerável na Internet de numerosos  tipos de conteúdos protegidos pelos direitos de autor através do Megaupload.com  e de outras páginas de Internet". 
Estas pessoas são acusadas de ter ganho cerca de 175 milhões de dólares  com o negócio, provocando "mais de meio milhão de dólares de perda aos detentores  dos direitos", oferecendo na sua página filmes, séries e outros produtos  pirateados, prosseguem as autoridades americanas. 

Tendências tecnológicas que podem marcar 2012

A CES é a grande feira de electrónica de consumoA CES é a grande feira de electrónica de consumo (Steve Marcus/Reuters)
  

Portáteis ultrafinos, carros com Facebook e a dupla aposta da Microsoft para o futuro. São algumas das tecnologias mostradas na semana passada na CES, a maior feira de electrónica de consumo. Podem vir a fazer parte do seu quotidiano.
Ao longo da semana passada, e como acontece todos os anos, centenas de marcas reuniram-se em Las Vegas, nos EUA, para mostrar novidades. Em alguns casos, a tecnologia exibida na feira Consumer Electronic Show (CES), o maior evento do género, acaba por entrar nas casas e nos hábitos dos consumidores. Noutros, é apenas aquilo que as empresas gostariam de vender mas não conseguem, porque os compradores acabam por seguir numa direcção diferente.

Finos, leves e não são tablets
Há dois anos, uma das promessas da CES eram os smartbooks: portáteis muito pequenos, híbridos de computador e telemóvel, feitos a pensar em quem pretendia muita mobilidade e uma conectividade constante. Mas a Apple lançou nesse ano o iPad e a indústria teve de correr atrás dele, esquecendo os smartbooks e produzindo tablets em catadupa, que, por sua vez, foram as estrelas da edição de 2011.

Este ano, a CES apresentou uma proliferação dos chamados ultrabooks. Basicamente, são portáteis muito finos e leves, mas com ecrãs de dimensões suficientemente grandes e com capacidade técnica para poderem ser usados em situações de lazer e de trabalho com conforto. Inspiram-se no Macbook Air, que a Apple apresentou em 2008 como o computador mais fino do mundo.

Para trás no mundo da mobilidade já ficaram há muito os netbooks (os portáteis pequenos, baratos, mas com desempenho reduzido). Marcas como a Dell, a Samsung, a Sony e a Lenovo mostraram nesta CES ultrabooks equipados com o Windows 8, o próximo sistema operativo da Microsoft, que ainda não chegou ao mercado.

Google na televisão
É a segunda tentativa de incursão da televisão do Google, e é feita pela mão de fabricantes de peso: Sony, Samsung e LG são as três principais marcas a apresentar modelos equipados com a Google TV.

Trata-se de uma plataforma de televisão interactiva, que o Google lançou em 2010 e cuja base assenta também no sistema operativo Android, o mesmo que equipa telemóveis e tablets. Mistura a experiência televisiva, com a de navegação na Web, a visualização de vídeos de sites como o YouTube (também do Google) e permite ainda o uso de aplicações, devidamente adaptadas para um ecrã grande. Para aproveitar as funcionalidades, os comandos incluem um teclado qwerty completo. A tecnologia pode vir já integrada no próprio televisor ou ser comprada num aparelho à parte que se liga à televisão.

Tanto por parte da imprensa especializada, como dos consumidores, a recepção da Google TV foi fraca na altura do lançamento. Mas, com esta segunda vaga de esforços para comercializar aparelhos com esta plataforma, o televisor, um sistema de interactividade crescente mas que ainda é sobretudo uma experiência de consumo passivo, parece ser o dispositivo no qual as empresas tecnológicas estão ansiosas por entrar. A Apple tem há alguns anos no mercado a Apple TV, que também teve uma recepção tépida - mas há muito que circulam vários rumores sobre uma nova cartada da empresa (que, como habitualmente, não tem presença na CES) neste segmento.

Para além das marcas que apostaram na Google TV, a multinacional chinesa Lenovo (um dos maiores fabricantes mundiais de computadores) mostrou na CES a sua primeira televisão, com uma abordagem diferente da dos rivais. Em vez de usar a tecnologia da Google TV, decidiu adaptar a mais recente versão do sistema operativo Android, que é desenvolvido pelo Google e de uso livre. Contrariamente ao Google TV, o Android 4.0 foi pensado para smartphones e para tablets.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Apple quer reinventar os livros escolares com a ajuda do iPad

A Apple apresentou hoje um novo serviço para o sector da Educação com o qual pretende incentivar a utilização de livros escolares digitais e reinventar a imagem destes livros
Denominado iBooks 2, o novo serviço foi desenvolvido em parceria com três editoras (Pearson PLC, McGraw-Hill e Houghton Mifflin Harcourt) que, segundo dados da agência Reuters, são responsáveis por 90 por cento do mercado de livros escolares nos EUA.
Através deste serviço é possível criar conteúdos semelhantes a livros escolares, mas em formato digital.
Durante a apresentação, que decorreu no Museu Guggenheim, em Nova Iorque, o responsável de marketing da Apple, Phil Schiller, demonstrou algumas funcionalidades da aplicação e a forma como esta pode ser utilizada tanto pelos autores de livros escolares como pelos próprios docentes para criarem conteúdos.
Citado pela agência noticiosa, Phil Schiller considerou que este serviço irá mudar a imagem tradicional dos livros escolares.
O mesmo responsável sublinhou durante a apresentação do iBooks 2 que «é difícil não ver que um livro escolar nem sempre é a ferramenta ideal para aprender».
A nova aplicação para iPad já se encontra disponível gratuitamente na loja de aplicações a partir de hoje e de acordo com a Apple, cada livro escolar digital criado com a tecnologia será comercializado por 14.99 dólares ou menos.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

"Googlar" reconhecido como verbo

"Dicionário Merriam-Webster reconhece o termo como sinónimo de pesquisa usando o motor de busca Google.

Eu "googlo", tu "googlas", ele "googla"...O nome do motor de busca mais célebre da Internet já é oficialmente um verbo, sinónimo de pesquisa. É assim que consta na nova edição do dicionário norte-americano Meriam-Webster.

in Público"

In Da comunicação à expressão: exercícios gramática prática de português,  M. Olga Azeredo, M. Isabel Freitas M. Pinto e M. Carmo Azeredo Lopes, LISBOA editora
à data de quarta feira, 18 de janeiro de 2012

O Facebook pode chegar aos mil milhões de utilizadores até Agosto

Segundo o Facebook, há 800 milhões de utilizadores registados e a continuar o aumento registado, atingirá os mil milhões de utilizadores em Agosto.
A previsão foi avançada pela iCrossing, empresa que tem estudado a evolução do Facebook.
Facebook-logoSegundo os cálculos da empresa, será em Agosto deste ano que o Facebook atingirá os mil milhões de utilizadores registados na rede social.
Segundo a empresa, os países que irão ajudar neste crescimento serão os países mais populosos, que são os países chamadas “em desenvolvimento”, que estão em grande evolução e há cada vez mais pessoas com acesso à internet.
Segundo a iCrossing, apenas 16% dos brasileiros têm uma conta do Facebook e apenas 3% dos indianos. Enquanto os europeus, são 37% que estão presentes nas redes sociais. Esta é a expectativa da iCrossing para este ano.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Wikipedia fecha 24 horas em protesto contra lei anti-pirataria nos EUA



"O fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, confirmou, esta segunda-feira, que a versão inglesa da enciclopédia digital vai juntar-se ao protesto contra uma proposta de lei anti-pirataria nos EUA, suspendendo o funcionamento por 24 horas na quarta-feira.
Das 5 horas de quarta-feira às 5 horas de quinta (horas de Lisboa), a Wikipedia vai encerrar, à semelhança de outros serviços, como o reddit, depois de Jimmy Wales o ter anunciado na sua conta de Twitter: "Espero que a Wikipedia derreta os sistemas telefónicos em Washington na quarta-feira. Digam a toda a gente que conhecerem!"
De acordo com o fundador da Wikipedia, mais de 100 milhões de pessoas serão afectadas pelo corte, com a suspensão do serviço nas outras línguas a ser deixada à escolha das respectivas comunidades.
"Alerta aos estudantes! Façam o vosso trabalho de casa cedo. A Wikipedia vai protestar contra a lei má na quarta-feira!", escreveu Jimmy Wales no Twitter hoje à tarde.
A proposta de lei "Parem a pirataria online" ("Stop Online Piracy Act", ou SOPA, no acrónimo original) tem sido fortemente contestada nos Estados Unidos, desde activistas a empresas de Silicon Valley, tendo a Casa Branca mostrado a sua oposição na semana passada.
Enquanto várias empresas de conteúdos encaram a lei como importante para a protecção dos direitos de autor, as tecnológicas opõem-se ao documento pelo que alegam ser uma intrusão no seu trabalho.
Uma página intitulada "Luta pelo futuro", com 116 mil seguidores no Facebook, acusa a lei proposta de poder "quebrar a Internet" por causa das "imensas maneiras de como vai refrear a liberdade de expressão e inovação", segundo o modelo da carta que têm enviado aos membros do Congresso."

In Jornal de Notícias online: tecnologia
à data de terça feira, 17 de janeiro de 2012

domingo, 15 de janeiro de 2012

A Wikipedia também se engana!!



"Em onze anos, a Wikipedia, que evoluiu de um projecto que pretendia ser uma enciclopédia online em moldes tradicionais, tornou-se um gigantesco repositório de informação, incontornável para quem faz pesquisas na Internet - a própria estrutura do site ajuda a que seja quase sempre um resultado cimeiro nas pesquisas do Google.




1

"Maitê Proença Gallo (n. São Paulo, 28 Janeiro 1959) é uma estrela porno brasileira, também conhecida pelos seus comentários ignorantes que envergonham o povo brasileiro." No dia 14 de Novembro de 2009, era assim que começava a página sobre a conhecida actriz brasileira. A descrição foi feita em retaliação por causa de um vídeo que fora transmitido dois anos antes, num canal brasileiro, mas que só em 2009 chegou ao conhecimento dos espectadores portugueses, através de um vídeo no YouTube, que depressa foi exibido também nas televisões. Nas imagens, Proença faz comentários trocistas sobre Portugal e cospe numa fonte do Mosteiro dos Jerónimos. A actriz e o canal acabaram por pedir desculpas.

2
O assassinato do antigo Presidente norte-americano John F. Kennedy e do seu irmão mais novo, Robert F. Kennedy, são motivo de especulações várias. Em 2005, um utilizador anónimo colocou na Wikipedia várias informações que indicavam que um jornalista americano chamado John Seigenthaler (amigo e, a dada altura, conselheiro de Robert) estava envolvido na morte de ambos. A entrada em causa esteve mais de quatro meses online, antes de ser retirada pelos gestores do site, a pedido de Seigenthaler. O incidente lançou um debate aceso sobre o funcionamento da Wikipedia.

3
Esta não convencia ninguém. Durante um breve período (nem sempre acontece, mas há erros na Wikipedia que são corrigidos quase imediatamente), David Beckham (que mesmo quem não tem interesse nenhum por futebol sabe quem é) estava descrito como um guarda-redes chinês do século XVIII.

4
Talvez um nível acima na escala da verosimilhança de que a nacionalidade de Beckham era chinesa -mas, mesmo assim, rapidamente desconstruída - era a informação de um romance entre o co-fundador do Google Sergey Brin e o fundador da Wikipedia Jimmy Wales. A dada altura, a entrada sobre Brin também chegou a afirmar, erradamente, que ele tinha morrido em Moscovo.

5
A 2 de Abril de 2007, duas semanas depois de o PÚBLICO ter publicado uma investigação sobre a licenciatura do ex-primeiro-ministro José Sócrates, um utilizador apagou a totalidade do parágrafo alusivo ao caso da Universidade Independente e eliminou ainda a menção ao facto de esta ser uma instituição privada. Não muito tempo depois, as referências ao caso Independente acabaram por voltar a ser introduzidas. Uma semana mais tarde, porém, o mesmo computador do utilizador inicial foi usado para retirar novamente todas as alusões à polémica (incluindo os links para as notícias da comunicação social). As alterações afectaram tanto a versão portuguesa como a versão inglesa com a biografia de Sócrates. O computador em causa fazia parte da rede informática do Governo.

6
No topo da escala de disparates da Wikipedia está também uma frase que surgiu na página do cantor Robbie Williams e segundo a qual este comia animais domésticos em pubs para ganhar dinheiro. Aos 16 anos Williams era já membro da banda Take That, um sucesso da década de 1990. E desde então tem ganho milhões. É pouco provável que tivesse de fazer o que quer que fosse num pub para ganhar dinheiro.

7
O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair é um adorador de Hitler e, quando adolescente, tinha um poster do líder alemão no quarto. Foi apenas uma das muitas informações falsas que povoaram a biografia de Blair. Quando o Governo britânico apoiou a invasão do Iraque, a página da Wikipedia tornou-se quase numa plataforma de acusações políticas, levando à intervenção dos responsáveis da Wikipedia.

8
Em 2009, o senador americano Ted Kennedy protagonizou um dos momentos dramáticos nas cerimónias de tomada de posse de Barack Obama, ao ter um ataque durante o almoço. Kennedy foi conduzido para um hospital e a Wikipedia rapidamente o deu como morto, relatando que tinha morrido "pouco depois" do incidente. Ted Kennedy morreu apenas meses mais tarde, de cancro.

9
Em 2005, o fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, foi apanhado a fazer batota. Wales editou a sua própria biografia, substituindo a expressão "co-fundador" por "fundador" e apagando a informação sobre Larry Sanger, o mentor do conceito de uma enciclopédia online e que esteve envolvido na criação do projecto que veio a dar origem à Wikipedia.

10
Eduardo Catroga é a mais recente vítima em Portugal da liberdade de edição da Wikipedia. A propósito da nomeação de Catroga para o conselho geral e supervisão da EDP, alguém editou a biografia do antigo ministro das Finanças, com um texto que começava por aludir à afamada frase que Catroga proferiu numa entrevista no ano passado na SIC Notícias. Começava assim a página na Wikipedia: "É mundialmente conhecido como o pentelho que ganha milhões."

Notícia corrigida às 19h05. O PÚBLICO também se engana: a Wikipedia celebra hoje onze anos e não dez (está activa desde 15 de Janeiro de 2001), como anteriormente estava escrito

In Público online: tecnologia
à data de domingo, 15 de janeiro de 2012

sábado, 14 de janeiro de 2012

Apple suspende venda de iPhone na China após tumultos

A Apple anunciou ter suspendido a comercialização do mais recente modelo iPhone na China, na sequência de tumultos ocorridos naquele país no dia da estreia da venda do iPhone 4S. A China é o maior mercado mundial de telemóveis.

"A procura pelo iPhone 4S tem sido inacreditável e os stocks das nossas lojas estão esgotados", diz a empresa num comunicado citado pela agência AFP.

Em causa está a venda deste e de todos os modelos iPhone nas lojas Apple Store na China: três em Xangai e duas em Pequim, acrescenta a mesma agência, já que a venda dos referidos equipamentos continua disponível online e em agentes autorizados da marca.

A cobiça pelos telefones da Apple é tal que nesta sexta-feira de manhã houve confrontos que envolveram também a polícia, noticia a BBC. As filas de interessados começaram a formar-se durante a noite, à porta de uma das lojas de Pequim. Segundo a AFP, houve quem pagasse 12,35 euros (100 yuan) apenas para garantir o seu lugar na fila.

Às sete da manhã desta sexta-feira (hora local, menos oito horas em Portugal continental), alguns clientes mais impacientes começaram a atirar ovos às montras, depois de a loja não ter aberto à hora programada. Ouviu-se gritar "Abram a porta" e "mentirosos", relata a BBC.

Apesar de a venda oficial só ter começado agora na China, o iPhone 4S já está disponível no mercado negro chinês desde Outubro, acrescenta a AFP. O país conta com 500 milhões de internatutas, dos quais 340 milhões acedem à rede através de telemóveis e smartphones, refere a mesma agência, citando informações divulgadas na quarta-feira por Gao Xinmin, responsável da Sociedade de Internet da China."

In Público online: tecnologia
à data de sábado, 14 de janeiro de 2012

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Ataque no Facebook está a roubar dados pessoais




Está neste momento em curso um ataque de phishing no Facebook.
O alerta, feito pela Kaspersky Lab, explica que a ação não só se centra no roubo de credenciais dos utilizadores da rede social, como também procura obter dados mais críticos, como números de cartão de crédito.

Os analistas da Kaspersky explicam que neste ataque a foto de perfil é substituída pelo logo do Facebook e o nome passa a ser Facebook Security, mas com caracteres especiais de ASCII que substituem letras ("a", "k", "S", e "t")".

Uma vez atacada, a conta envia a seguinte mensagem a todos os contactos: "Último aviso: a sua conta do Facebook será desactivada já que alguém o denunciou. Por favor, restaure a segurança da sua conta em=> http://apps-xxxx-xxxxx-user.de.vu Obrigado. A Equipa do Facebook"

Ao clicar no link, a vitima é de imediato redirecionada para uma página web, que se assemelha muito à do Facebook e onde lhe pedem informações pessoais: nome, email, password, etc. Ao enviar a informação, os dados chegam às mãos dos cibercriminosos, que, a partir desse momento, podem aceder à conta e comprometer a sua segurança.

Se a vítima facilitar esta informação, uma nova página pede que confirme a sua identidade com um pagamento, solicitando para tal o número de cartão de crédito.

Esta última página de phishing trata de confirmar a informação do cartão de crédito, incluindo o código CSC/CVV (numeração de três dígitos que aparece na parte de trás do cartão).

Data de Visualização de Notícia: 13 de Janeiro de 2012
Fonte:http://tek.sapo.pt/noticias/internet/ataque_no_facebook_esta_a_roubar_dados_pessoa_1214007.html#

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012


São mais de 1,2 milhões o número de famílias que em Portugal continental têm em casa mais de um PC ligado à Internet, de acordo com dados da Marktest. Os números revelam a existência de mais de uma ligação à Internet em 35,3% dos lares do continente e traduzem um crescimento significativo deste indicador ao longo dos últimos anos
Ainda de acordo com a empresa de estudos de mercado, na última década o número de famílias com dois ou mais PCs ligados à Internet, em casa, cresceu 17 vezes. Em 2001 esta era uma realidade que apenas se verificava em 2% dos lares, revela o estudo Os Portugueses e as Redes Sociais. 
O avanço mais significativo deu-se entre 2009 e 2010, quando o número de famílias com vários PCs ligados à Internet aumentou mais de 7%, para os 32,4%.







A partir dessa altura (2010) o número de famílias com mais do que um computador com ligação web ultrapassou o número de famílias que continuam a tirar partido da Internet nos seus lares, apenas através de um único PC. Atualmente 30,3% das famílias mantêm-se só com um computador ligado à Internet.







Dados do mesmo estudo, revelados em novembro, mostravam que perto de 60% da população portuguesa já usa a Internet, 9 vezes mais que há 15 anos. Se em 1997 apenas 6,3% dos residentes em Portugal continental usavam a Internet, em 2011 o uso da tecnologia avançou para 59%.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Uma década depois do boom, o que é feito dos blogues?





Uma década depois do boom, o blogue não morreu, mas perdeu mediatismo. As redes sociais vieram elevar a fasquia da rapidez e da interactividade, embora não tenham ocupado por completo o tempo de quem se dedica a publicar coisas na world wide web.



Em 2000, a revista de tecnologia Wired publicou o seu primeiro artigo sobre blogging. Em 2004, a palavra “blog” foi considerada a palavra do ano pela editora americana Merriam Webster. Em 2008, a mesma revista Wired. afirmou em letras garrafais. "Twitter, Flickr, Facebook Make Blogs Look So 2004". A febre do blogue (para muitos foi uma espécie de febre) foi forte. Os debates inflamados e as quezílias entre bloggers ficaram célebres.

Paulo Querido, jornalista especializado na área dos novos media, editou em 2003, juntamente com Luís Ene, o livro “Blogs”. Um guia acima de tudo prático que ganhou pelo timing – a altura em que o blogue simplesmente emergia em Portugal.

No início de 2003, existiam 174 blogues portugueses, número que seis meses mais tarde saltou para 905, segundo as estatísticas da plataforma “Blogs em .pt”. Cinco anos depois, o mesmo autor anunciou no seu próprio blogue
"o fim da blogosfera"
.
Os sintomas tornavam-se visíveis. Os bloggers pareciam cansados de uma rotina exigente de actualizações e tinham sido atingidos por um desencanto face a um “espaço novo” que, militantemente, muitos quiseram contrapor ao jornalismo. Hoje, Paulo Querido faz um balanço dos últimos três anos: “dezenas de milhar de blogues abandonados” e “o surgimento de blogues colectivos”. Ao mesmo tempo, plataformas emergentes, com destaque para o Facebook e para o Twitter, trouxeram novas propostas de socialização.

Segundo dados do estudo “State of the Blogosphere 2011”, realizado pelo motor de busca de blogues Technorati, com uma amostra de 4114 bloggers em todo o mundo, 42% dos inquiridos haviam postado no último mês, ao passo que apenas 11% dos bloggers tinham actualizado a(s) sua(s) página(s) nas últimas 24 horas."


ATENÇÃO:

Para visualizar a notícia por completo ir à página do jornal online dedicada à reportagem.

In Público online: tecnologia
à data de terça feira, 10 de janeiro de 2012

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Jovens portugueses enviam mais de 100 SMS diários

"Os jovens portugueses enviam uma média de mais de 100 mensagens de texto por dia, de acordo com as conclusões de um estudo sobre as percepções dos jovens em relação ao uso do telemóvel.

O Instituto Superior Técnico (IST) e o Instituto de Telecomunicações (IT) divulgaram os resultados de um estudo cujo objectivo era perceber a utilização e preocupações dos jovens relativamente ao telemóvel e às radiações electromagnéticas.

O serviço de SMS é o mais utilizado pelas camadas mais jovens, que em média enviam mais de 100 mensagens por dia. As chamadas também são populares: os resultados indicam uma média de quase seis chamadas diárias, compreendendo mais de meia hora de conversação.

O telemóvel está bastante presente no dia-a-dia dos jovens, sendo que menos de 0,5% dizem não ter telemóvel. No entanto, muitos jovens afirmam ter mais do que um aparelho e a maioria teve o seu primeiro telemóvel aos dez anos.

Mais de 50% dos jovens admitem preocupar-se com os possíveis efeitos das radiações electromagnéticas, mas apenas 20% procurou informação sobre o tema. As medidas de precaução são praticamente inexistentes.

O estudo “Telemóveis e os jovens: utilizações e preocupações” foi desenvolvido durante o ano lectivo 2010/2011, e contou com 2471 inquéritos realizados em 40 estabelecimentos de ensino a nível nacional."

In Público online: tecnologia
à data de segunda feira, 09 de janeiro de 2012

Os colossos PlayStation 4 e Xbox 720 podem ser apresentados este ano

Segundo os últimos rumores, a Microsoft pode estar a preparar duas versões da Xbox 720, uma versão com um excelente hardware, para os “hardcore gamers” e uma outra a um preço mais barato, para chegar a todos os bolsos. Em conjunto com a Xbox 720, há já a confirmação de que a próxima Xbox terá um gráficos do tipo “Avatar”, um filme bastante conhecido pela sua qualidade gráfica. Um outro rumor que agrada aos fãs da Xbox, é a próxima Kinect 2 poder detectar emoções, que pode ser lançada em conjunto com a Xbox 720.

A novidade é a Sony, que costuma ser a última fabricante a lançar, como aconteceu com a Playstation 3, mas que, parece, que agora não quer perder a corrida, querendo começar ao mesmo de todos os outros. Já não é a primeira vez que há rumores sobre a sucessora da Playstation, já anteriormente, o DigiTimes tinha reportado que a Playstation 4 poderia ser lançada em 2012, incluindo que poderia ver com sensores de movimento iguais ao Kinect, trazendo o que melhor há na Xbox para a Playstation. O site MCV indica que altos cargos da Sony comentaram que não quererão ficar atrás da concorrência, o que pode indicar que já estarão a preparar alguma coisa para apresentar já na E3.
Até Junho, muitos rumores deverão aparecer, como supostas imagens da Playstation 4 e Xbox 720, mas só em Junho deveremos ter confirmação oficial. Se este rumor se confirmar, será a melhor feira de jogos alguma vez realizada 

domingo, 8 de janeiro de 2012

É brasileiro, tem apenas 15 anos e pôs o iPhone a entender português

"Um adolescente brasileiro de 15 anos de idade conseguiu que o sistema de reconhecimento de voz Siri, lançado com o mais recente modelo do iPhone, o 4S, entenda perguntas em língua portuguesa, quando oficialmente apenas reconhece o inglês, o alemão e o francês.

"Como a Apple sempre esquece do Brasil quando lança algum produto desse tipo, achei que seria uma oportunidade legal de tentar mudar isso", afirmou o jovem Pedro Franceschi à agência Lusa.

A ideia partiu de uma conversa com os amigos, utilizadores do iPhone 4S que sentiam falta de poder utilizá-lo na sua língua materna.

Simplificando a explicação, o jovem diz que a adaptação foi feita a partir da intercepção da comunicação entre o dispositivo de reconhecimento de voz do iPhone, conhecido como Siri, e os servidores da Apple. Para tal, o jovem programador utilizou a aplicação Dragon Dictation, que também transcreve dados de voz, incluindo em português.

"Basicamente, o áudio é interpretado utilizando a aplicação Dragon Dictation, da Nuance, é traduzido e regravado em inglês e então é enviado de volta para a Apple, simulando uma consulta feita em inglês ao Siri", explica o estudante.

Segundo Pedro Franceschi, a solução foi encontrada após três dias "quebrando a cabeça" e duas noites "viradas". O trabalho maior foi decifrar os protocolos de comunicação trocados entre a Apple e o iPhone 4S.

A funcionalidade ainda não está disponível para os utilizadores comuns. Mas, como se pode ler no
blogue de Pedro Franceschi, "assim que o Jailbreak [método através do qual é possível desbloquear o iPhone para permitir a instalação de outros programas, que não os aprovados oficialmente pela Apple] do iPhone 4S estiver disponível, trabalharei arduamente para fazer o Siri em português brasileiro funcionar no iPhone 4S, não dependendo assim da Apple para isso!"

Como utilizou na adaptação tecnologias que são patenteadas (da Dragon Dictation, por exemplo), Pedro explica que a única parte de seu trabalho possível de ser registável seria o algoritmo de comparação de áudios, criado por ele. O jovem afirma, no entanto, que não possui qualquer interesse em registar patentes de inventos seus, por questões ideológicas. "Acho que o conhecimento é livre e patentear software não é uma alternativa interessante", enfatiza.

Desde a divulgação da descoberta, o jovem autodidacta - que programa desde os oito anos - passou a ser procurado por empresas com ofertas de trabalho. Nenhum delas, porém, o fez sair da firma de programação onde já trabalha."

In Público online: tecnologia
à data de domingo, 08 de janeiro de 2012

sábado, 7 de janeiro de 2012

Boneco de Steve Jobs irrita Apple


Boneco de Steve Jobs irrita Apple

"Com a morte de Steve Jobs, o mercado foi inundado por vários artigos que evocam a memória do fundador da Apple. Desde t-shirts até capas para o iPhone, são muitos os produtos vendidos na Internet. No entanto, um boneco realista de Steve Jobs pôs o departamento legal da empresa de Cupertino em acção ainda antes de começar a ser vendido.
Criação da In Icon, uma empresa chinesa baseada em Hong Kong, o boneco de 30 cm provocou algum burburinho na Internet, o que fez com que a Apple se apercebesse da sua existência.

De acordo com o "The Daily Telegraph", a empresa não terá gostado de ver uma reprodução pormenorizada do fundador da Apple no mercado e já enviou uma carta à In Icon avisando que irá proceder legalmente se o boneco, que custa 80 euros em pré-venda, for mesmo vendido.
"Qualquer brinquedo que lembre o logótipo da empresa de tecnologia, o nome de uma pessoa, a aparência ou parecença com os seus produtos é um crime", escreve a Apple, citada no jornal britânico.
Segundo a revista "Wired", na Califórnia, os direitos de personalidade impedem que haja reproduções da imagem da pessoa, voz ou assinatura sem o seu consentimento. Este impedimento vigora até 70 depois da morte da pessoa.

Para além da figura pormenorizada de Steve Jobs, a companhia vende também miniaturas das calças de ganga Levis, sapatilhas brancas New Balance e camisola de gola alta que se tornaram imagens de marca do criador de gadgets como o iPhone e iPad.
Disponíveis para os clientes, estão ainda um pacote com duas pequenas maçãs (uma delas roída) e um cenário com a frase que fez vibrar os fãs nas apresentações de novos produtos: "só mais uma coisa".
Este não é o primeiro boneco de Steve Jobs a fazer com com que a Apple ameace proceder legalmente contra uma empresa. Já em 2010, a companhia conseguiu impedir a venda de um boneco em que Jobs segurava um iPhone na mão."

In Jornal de Notícias online: tecnologia
à data de sábado, 07 de janeiro de 2012

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

O 'trailler' oficial dos Oscares

O regresso de Billy Cristal à cerimónia de entrega dos Oscares é o tema do divertido 'trailler' lançado hoje pela Academia de Hollywood: com o título 'Off the Grid', o 'trailler' simula a busca realizada por dois exploradores ao desaparecido anfitrião.



Billy Cristal apresenta pela nona vez a cerimónia de entrega dos Oscares (a última vez tinha sido em 2004) e as expectativas são bastante elevadas.

O evento realiza-se a 26 de Fevereiro e a lista de nomeados é conhecida já a 24 de Janeiro.

In Diário de Notícias online: Artes
à data de sexta feira, 06 de janeiro de 2012

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Há uma nova religião na Suécia e os direitos de autor não vão gostar

“Agradecemos-te, Senhor, por este ficheiro que vamos sacar.” A partir de hoje, todos os que crêem na cópia e na partilha livre de músicas, filmes ou qualquer outro tipo de ficheiro digital, podem comungar na Igreja do Kopimism, uma congregação oficialmente reconhecida como religião pelas autoridades da Suécia.



O termo “kopimism” (de “kopimi” – lê-se “copy me”) é de difícil tradução para o português, mas o principal mandamento desta nova igreja é fácil de compreender pelos falantes de qualquer língua: copiarás e partilharás livremente todos os ficheiros que te aparecerem pela frente.

O fundador da Igreja do Kopimism é um jovem sueco de 19 anos, estudante de Filosofia. Chama-se
Isak Gerson
e está hoje muito activo no Twitter, a responder a solicitações e a agradecer os parabéns pelo reconhecimento da sua crença como religião oficial. Entre as respostas aos “tweets”, ainda tem de arranjar tempo para manter online o site oficial da sua congregação. Devido ao excesso de visitas, Isak Gerson viu-se obrigado a deixar uma mensagem no Twitter a todos os interessados: “Os nossos servidores estão a ser reiniciados de cinco em cinco minutos. Se o site estiver em baixo, esperem uns minutos e tentem novamente!”

Ao final da manhã, a página de entrada do
site
explicava a causa dos problemas técnicos: “Bem-vindos ao site da Igreja do Kopimism! Estamos em baixo devido a excesso de tráfego e, por isso, estamos temporariamente a mostrar uma página Web estática. Se estão interessados em tornarem-se membros, voltem a este endereço nos próximos dias, depois de a tempestade acalmar”.

Desde 2010 que os membros do Kopimism tentavam ver a sua igreja reconhecida oficialmente, mas os dois primeiros pedidos foram negados, em Março e em Julho de 2011.

"A informação é sagrada e o acto de copiar é um sacramento"

A missão dos membros da Igreja do Kopimism não podia ser mais simples, como se pode ler num comunicado publicado no site oficial: “Para a Igreja do Kopimism, a informação é sagrada e o acto de copiar é um sacramento. A informação possui um valor em si mesma e naquilo que ela contém e esse valor é multiplicado através da cópia. Assim, o acto de copiar é central para a organização e para os seus membros”.

Outra das cruzadas desta nova religião é a luta contra os direitos de autor: “Ser proprietário de software (manter o código-fonte escondido das outras pessoas) é comparável à escravatura e deve ser proibido".

Citado pelo site Torrentfreak, o fundador Isak Gerson queixou-se do “estigma legal” à volta do acto de copiar e partilhar ficheiros, mas fez votos para que a sua igreja ajude a mudar a situação actual. “Muitas pessoas ainda têm receio de ir para a cadeia quando estão a fazer cópias ou remisturas. Espero, em nome do Kopimi, que isto se altere.”

Para ser reconhecida oficialmente como religião pela comissão nacional sueca
Kammarkollegiet
, a Igreja do Kopimism teve de detalhar o seu sistema de preces ou meditações. Os responsáveis explicaram que o principal ritual da igreja é “o acto de copiar e estabelecer uma ligação entre os seus membros através da partilha de informação”.

A Igreja do Kopimism passou de 1000 para 3000 membros (ou “kopimists”) no segundo semestre de 2011, mas o reconhecimento oficial por parte das autoridades suecas deverá impulsionar ainda mais o crescimento desta comunidade. Para se ser membro da Igreja do Kopimism não é preciso preencher formulários; "basta sentir um chamamento para adorar o mais sagrado de tudo o que é sagrado – a informação e a cópia"."

In Público online: tecnologia
à data de 05 de janeiro de 2012

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

O Google quis dar o exemplo e castigou o seu próprio browser

"O Google decidiu enxotar o seu browser, o Chrome, para fora das primeiras páginas de resultados no motor de busca, depois de ter sido acusado de permitir uma estratégia publicitária que viola o seu próprio código de conduta.


Em causa está o pagamento em dinheiro a bloggers para a publicação de artigos sobre um vídeo de publicidade ao Chrome, acompanhados da frase "This post is sponsored by Google" (Este post é patrocinado pelo Google).

Num dos casos, um blogger deixou um link directo para o endereço oficial do Chrome, o que viola as
regras de qualidade
da empresa sobre comportamento na Web.

A campanha publicitária foi encomendada à empresa britânica Essence Digital, que depois encarregou outra empresa, a Unruly Media, de espalhar os vídeos pela Web. Foi esta empresa que entrou em contacto com os bloggers para que publicassem artigos sobre o vídeo.

Os responsáveis do Google afirmam que nunca tiveram a intenção de pagar a bloggers com vista à publicação de links directos para o Chrome, mas – em resposta à vaga de notícias sobre este assunto, que começaram no site
Search Engine Land –, dizem agora que a empresa deve dar o exemplo. A explicação
chegou através da rede social Google+, pela mão do director do departamento da empresa que visa combater o spam na Web, Matt Cutts.

"Se forem ver as duas dúzias de artigos patrocinados (tal como fez a nossa equipa de controlo de spam), vão verificar que mostram um vídeo sobre o Google Chrome, mas não têm nenhum link directo para o Google Chrome", escreveu o responsável da empresa norte-americana. O problema é que, no parágrafo seguinte, Matt Cutts admite que a sua equipa encontrou um artigo com um link para o endereço oficial do browser.

Assim, o endereço será penalizado nas pesquisas no Google por "pelo menos 60 dias". Findo este período, "alguém por parte da equipa do Chrome pode enviar um pedido de reavaliação desta decisão, tal como qualquer outra empresa teria de fazer"."

In Público online: tecnologia
à data de quarta feira, 04 de janeiro de 2012