quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Morreu Steve Jobs(Apple)

A Apple anunciou na quarta-feira que o seu fundador Steve Jobs morreu após uma longa batalha contra o cancro.
Em comunicado, a Apple anunciou a perda de «um visionário e um génio criativo», e declarou que o mundo perdeu «um extraordinário ser humano».
«O génio, paixão e energia do Steve estiveram na origem de inúmeras invenções que enriquecem e melhoram as nossas vidas», declarou a empresa.
Jobs, nascido em 1955, fundou e liderou a Apple até Agosto último, e fica associado a alguns dos mais populares e inovadores produtos informáticos da história, como o iPad, o iPhone e um dos primeiros computadores pessoais, o Apple II.
Filho de mãe norte-americana e pai sírio, Jobs foi dado para adopção e acolhido por um casal norte-americano de raízes arménias. Após um percurso académico irregular, abandonou a universidade e abraçou o seu próprio projecto empresarial, num percurso com altos e baixos em que chegou a ser afastado da Apple, mas que culminaria com a transformação da companhia tecnológica na maior empresa do mundo em termos de capitalização bolsista.
Em 2004 descobriu que tinha cancro no pâncreas e recebeu um transplante de fígado em 2009. Nos últimos anos tinha já se tinha afastado várias vezes da liderança da Apple - no início a companhia começou por não admitir que fosse por doença -, mas só há dois meses Steve Jobs 'sugeriu' à administração o nome do seu sucessor, Tim Cook. Esta indicação foi lida como um sinal de que a saúde do fundador da Apple se deteriorara irremediavelmente.

Fonte: SOL

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Falta o titulo!

Here are some iPhone applications dedicated to graffiti where you can tag using the tips of your fingers on a digital touch screen – just one more advancement in graffiti technology.

This article was originally posted in February 2010 on FatCap's French site. The translation was done for you by FatCap Editorial Assistant Jacqui M; some references to newer articles since the original publication were added.
It has been three years since we discovered the first graffiti application for the iPhone. This application, called Fat Tag, allowed you to tag on a color screen (up to 3 colors of your choice) with a beveled point. This version was already pretty fun, with automatic colors that added to its charm. Recently, the Fat Tag creators have come out with a new and improved version of the application in collaboration with Katsu, a New York vandal known for his tags done with a fire extinguisher.
The Fat Tag Deluxe Katsu edition offers several colors, multiple backgrounds and different pen/brush tips. Now we get to start playing with and varying the style. The movement is still natural and pretty close to the real thing. It’s an ideal application for killing the time in a waiting room or elsewhere.
The open source lab F.A.T (Free Art and Technology) isn’t done surprising us yet. They recently added an adaptation to the application that uses a long-range projector. The tags you create can also be overlapped onto entire buildings in the same way that Graffiti Research Lab showed us with their laser graffiti three years ago in the middle of New York.
An Encyclopedia of Styles

The latest newcomer to the world of graffiti applications is the program “Graffiti Analysis.” If you went to the exhibition Born in the Streets at the Cartier Foundation in Paris, then you definitely noticed an animation showing tags in 360 degree relief. This impressive application takes the same idea, dissecting and analyzing the motion of graffiti.
Evan Roth, the originator of the project, took the idea so far as to make the application record, analyze and list the tags in a data base in GML (Graffiti Markup Language) format, the new digital standard that propels all of the latest digital applications centered around graffiti. The website for Graffiti Analysis describes this new language as “a specifically formatted XML file designed to be a common open structure for archiving gestural graffiti motion data into a text file.” In layman’s terms, this technological development anticipates numerous innovations in material lettering and digital animation as well as the decomposition of styles.
Graffiti legends such as Seen, Jonone, Ketone, and Twist have already archived their lettering. What Martha Cooper and Henry Chalfant did for archiving graffiti in video and film, Graffiti Analysis is doing for archiving graffiti in code. We’ll let time tell if it will be successful. [Editor's Note: Please find other articles written on Evan Roth's projects: Eye Writer and Graffiti Analysis]
Graffiti Analysis is an open source project available on OSX, Windows, and Linux.
Here’s a video of the project and for more information, check out Graffiti Analysis’ website.
FatCap Bonus:

For all the tech amateurs, here’s a selection of videos and articles that treat the blending of graffiti and technology. If you know of any other projects, don’t hesitate to contact us or to add your comments.

Polaroid Pogo Instant Digital Camera

Vobis lança Polaroid Pogo Instant Digital Camera

A nova máquina fotográfica já está disponível nas lojas Vobis, incluindo a loja online (www.vobis.pt ), por apenas 199 euros.

Vobis lança Polaroid Pogo Instant Digital Camera

Para pessoas que já tiveram ou tem ou querem ter, saiu no ano passado o Polaroid Pogo Instant Digital Camera, já tem disponível nas lojas da Vobis. Esta máquina fotográfica é a primeira câmara digital com combinação de impressora, pequena o suficiente para tirar fotografias on-the-go.

Como versão digital da câmara histórica Polaroid, a versão PoGo? é um recurso completo de câmara digital com impressora integrada. A câmara tem 5.0 megapixéis com um monitor LCD 3,0", digital zoom de 4x e uma SD compatível para a memória expandida.

Partilhar fotografias apenas à distância de um clique é possível através da impressora integrada que lhe dá a opção de ver e recortar as imagens antes de as imprimir. Existe ainda a opção de inserir a data e o número do arquivo da fotografia e de incluir uma moldura Polaroid para tornar as imagens mais divertidas. A impressão dura cerca de 40 segundos e pode imprimir até 20 fotografias por cada carga de bateria completa.

domingo, 2 de outubro de 2011

Firefox: descubra as melhorias introduzidas na versão 8

Facebook cria companhia para o botão "Gosto"


O Facebook irá passar a adoptar uma postura mais agressiva na partilha de média, como música, vídeo e fotografias. De acordo com o New York Times, a companhia vai apresentar uma plataforma que vai permitir aos utilizadores postarem no mural as suas músicas favoritas, programas de televisão e filmes, de acordo com fontes ligadas à rede social.
Daí a criação de novos botões como "Lido", "Ouvido" e "Visto", de forma a complementarem o tão popular "Gosto".
As novas opções vão também ajudar na concentração do mercado-alvo dos anunciantes, que podem eventualmente recolher informação sobre as preferências de média dos seus utilizadores.
As futuras alterações iram criar a oportunidade, assim como a capacidade de personalizar cada vez mais a experiência de utilização para os usuários. Também as marcas, empresas retalhistas, companhias de entretenimento e outros negócios vão conseguir segmentar informação à volta do "Gosto".

Data de Consulta: 02 de Outubro de 2011